Programa MSc Mindful Self-Compassion

Programa MSC Mindful Self-Compassion Cuidar de mim. Cuidar do outro. Auto-compaixão significa ser-se bondoso para consigo próprio como podemos ser para com os outros. É reconhecer que atravessamos um momento difícil, não ignorar as nossas emoções e também não nos julgarmos. O programa de MSC, destinado a cultivar a capacidade de auto-compaixão, foi desenvolvido pelos psicólogos e…

Workshop Escuta Ativa

7 de Fevereiro das 18h30 às 21h30 Neste workshop poderá ter uma ideia do que poderá aprender de forma aprofundada na Formação de Escuta Activa que começa a 18 de Fevereiro. Inscrições e informações: formacao@amara.pt www.amara.pt 962 730 796 Local: Hotel Lisboa Plaza à Praça da Alegria Animadora: Cláudia Farinha Pós-graduada em Relação de Ajuda…

Stress no meio profissional – Reconhecer e acompanhar as problemáticas

Os problemas de stress estão cada vez mais presentes no mundo profissional e afetam cada vez mais pessoas. O objetivo deste workshop é obter uma melhor compreensão dos mecanismos envolvidos na adaptação do corpo ao stress e das formas de prevenir os distúrbios provocados por ele. Desta forma procura-se contribuir para desenvolver ou manter uma melhor qualidade de vida no trabalho.

A importância do toque na relação de ajuda

Numa relação de ajuda, para que o acompanhante entre em relação com o outro é necessária uma escuta de qualidade e uma capacidade de empatia. O toque de relação permite ir mais longe e proporcionar uma relação mais profunda de ser humano a ser humano. Quando é o “humano” e não só um corpo que acompanhamos, quando as palavras já disseram tudo, a mão torna-se no melhor instrumento de diálogo silencioso com o sofrimento.

Graças ao toque de relação é possível ter um efeito não só nas dores físicas mas também no estado psíquico e emocional, favorizando um estado de serenidade e de unidade da pessoa acompanhada. Em situações de dor, de doença, as pessoas desligam-se do seu corpo para diminuir o sofrimento. No entanto, ao fazê-lo estão também a desligar-se do seu sentimento de existência orgânico e da sua força de vida.

Estar presente e escutar o outro

A presença é a capacidade de estar totalmente lá, com uma qualidade de atenção e autenticidade na nossa forma de ser e nos nossos actos. Rushton, C., Sellers, D., Heller, K., Spring, B., Dossey, B., Halifax, J., 2009.

Este workshop é uma introdução à relação de ajuda. Os formandos terão a oportunidade de reflectir sobre a utilização do self na relação de ajuda e de praticar a escuta activa.

O Sentido da Vida

Para darmos um sentido à nossa vida temos de retirar lições do passado, determinar quem somos no presente e aprender a construir o futuro com base nos nossos verdadeiros valores.

Todos os textos sagrados ou tradicionais nos incitam a alargar o nosso horizonte quotidiano e a enfatizar o “aqui e agora”, a aceitar o sofrimento e a morte como partes integrantes da vida e a estar “atentos a cada manifestação da beleza e da graça” (Sogyal Rinpoche).

Ars Moriendi – O acompanhamento espiritual de pessoas com uma doença avançada, segundo a abordagem Cristã e Budista

Padre Maurice Zundel, que escreveu o livro “À escuta do silêncio”, numa das suas conferências sobre a morte pergunta-nos: O que fazemos da nossa vida? Estamos à procura de nós mesmos, fugimos de nós, reencontramo-nos de forma intermitente e nunca chegamos a fechar o círculo, a definir-nos a nós próprios, a saber quem somos… Não temos tempo, a vida passa tão depressa, estamos absorvidos pelas preocupações materiais ou por diversões… e, finalmente, a morte chega e é em sua presença que tomamos consciência de que a vida poderia ter sido algo de imenso, de prodigioso, de criador. Mas já é tarde demais… e a vida só adquire todo o seu relevo no imenso desgosto de uma coisa inacabada. É, então, que a morte, justamente porque a vida ficou inacabada, aparece como um poço sem fundo…